Amélia Marcionila Raposo da Luz

Amélia Marcionila Raposo da Luz

Amélia Luz – nasceu em Pirapetinga/MG. Formou-se em Pedagogia – Administração Escolar e Magistério – Orientação Educacional – Comunicação e Expressão em Língua Portuguesa com Pós Graduação em Psicopedagogia na Escola e Planejamento Educacional. Oficineira de versos leva às escolas a palavra poética despertando a juventude para a leitura e a poesia como meio de educar para a paz.
Membro Da UBE/RJ e outras associações literárias.

E-mail: amelialuzz30@gmail.com

Link: souamelialuz.blogspot.com.br

Sábado, 15 Outubro 2016 23:11

Mundo Cigano

Na Vila dos Ventos
Tudo é sentimento!
A mulher cigana
Quarta, 12 Outubro 2016 14:50

Medalha de Ouro

Aquele foi um verão diferente. Tão logo me vi livre dos compromissos do clube olímpico, arrumei as minhas malas e me dirigi para o litoral. Lá estava a nossa casa de praia, à minha espera. Fui levado por uma tremenda crise existencial, pois havia rompido um noivado de dois anos com a Lígia, com quem tivera um relacionamento muito prolongado. Ultimamente as crises de ciúmes dela para comigo estavam chegando ao descontrole e, sem alternativa, fui obrigado a me decidir.

Sábado, 08 Outubro 2016 21:21

Ibéria, Histórica Ibéria.

Quando o homem recortou a península
Olhando o céu, dividiu as estrelas,
Contemplando o mar soprou as caravelas
Que vazaram as espumas do oceano
Sábado, 08 Outubro 2016 21:06

Um Causo Mineiro

Seu Zezinho era comerciante próspero, conhecido por aquelas bandas como homem leal, fiel e de palavra. Comprava e vendia o que quisesse com apenas um fio da sua barba como garantia. Casado, pai de quatro filhos, curtia a vida folgado. A mulher era o pé-de-boi e o pau-para-toda obra da família. Mulata forte, não hesitava em arregaçar as mangas e enfrentar o pesado. Além do mais, no armazém de “secos e molhados” vendia-se de tudo. Ela se gabava em dizer que tudo era feito por ela, dos bolos e cocadas aos chouriços e fressuras.

Sexta, 07 Outubro 2016 01:21

Recado

-Vai, eu sei, tu queres (?) e também precisas ir! Mas, não te esqueças nunca de mim... Sim , eu sei, é ela que te lava as roupas, que te passa as camisas, que te cirze as meias, que te prepara a comida ( e até acerta no tempero), que te cria as crias, que te jurou fidelidade no altar até a morte, que a teu lado se deita todas as noites e que te ouve o ronco (sem reclamar?), ou aprecia seu manso ressonar...