Segunda, 26 Setembro 2016 22:45

A Bússola de Ridel

Escrito por
Avalie este item
(4 votos)

Em uma época nórdica, onde os Vikings eram a maioria, várias regiões foram varridas queimadas por um fogo misterioso, florestas, bosques, casas, crianças, homens, o fogo consumia tudo e todos que passava pelo seu caminho, menos uma aldeia de Viking chamada de Bárbaros, como era chamo aquele clã.

Ninguém sabia dizer naquela época o que estava acontecendo e porque todas aquelas vilas estarem sendo massacradas e dizimadas do mapa. Então um velho viking chamado Kracon Ridel foi em busca de informações e atravessou o mar mediterrâneo enfrentando perigos além da compreensão, como a lula gigante, até encontrar terra firme, descendo se seu barco de madeira, a sua tripulação ficou e ele segui pelo caminho até chegar a floresta de arvores escuras e seguiu pela trilha olhou em seu mapa e o colocou novamente em sua caixinha de ouro e guardando em seu bolso.

Kracon era forte e grande seu cabelo emaranhado castanho claro seguia com as pontas com uma pequena trança, e em seu rosto uma barba grossa e suja de banha das comilanças de seu povo, usava um saco de pano como bolsa, onde guardava seu machado e uma arma letas uma besta com flechas afiadas feitas artesanalmente.

Ele vai seguindo pela floresta escura sua respiração estava ofegante até que ele retira novamente a caixinha dom bolso e verifica sua localização e se depara em frente a uma velha cabana de madeira.

- Olá! Tem alguém ai? Pergunta o Viking

Mais ninguém responde, só seu eco ecoando pelas altas arvores da floresta, onde pássaros saiam voando assustados, a cabana estava construída entre duas árvores que se entrelaçavam e desapareciam no alto da floresta, e de repente barulhos dentro da cabana são escutados, como uma panela caindo ao chão.

- Quem é! Já estou indo diz uma voz tremida parecendo ser de um ancião.

Então a porta se abre e num estralo enferrujado aparece em sua frente um velho que estava de terno e seu cabelo branco chama a atenção do viking.

- O que posso lhe ser útil! Pergunta o velho

- Estou com problemas em minha vila, existe um fogo que está se alastrando pela floresta matando tudo o que é vivo, e minha vila está na direção.

O velho com os olhos esbugalhados o convida para entrar, e diz

- Vamos, entre e se sente tome uma xicara de chá.

O velho viking se senta e pega a minúscula xicara que o velho lhe deu e faz uma careta colocando a xicara na mesa de centro novamente.

- Me conte, porque sua vila está sendo ameaçada? Pergunta o velho

- Já lhe disse é o fogo, todas as outras vilas foram queimadas e ninguém sabe dizer o que houve, por isso vem buscar ajuda e acho que você pode ser a resposta.

- Hum! E este fogo apareceu do nada?

- Sim! Como magia. Responde Ridel

- Neste caso teremos que ir até a sua vila para te dar uma resposta mais exata.

-Sim, Sim, muito obrigado...

- Mais uma pergunta como você me achou! Pergunta o Velho.

- A anos em nossa família, e vem passando de geração em geração este mapa, ela pega a caixinha com um símbolo de lua talhado na tampa, e se um dia precisasse de ajuda deveria ir até encontrar você. O velho pega e observa a tampa e escorre uma lagrima em seu rosto quer a seca com a mão.

- Eu disse alguma coisa, diz o viking

- Não, Não é que este selo da lua, pertence a minha família, quem lhe deu este mapa.

- Foi um velho andarilho, meus antepassados o ajudaram em troca ele deu está caixa que continha o mapa.

- Eu acho que conheço este andarilho, vamos não podemos perder tempo sua vila corre perigo.

- A bussola, a bussola, vamos precisar dela, diz o Velho abrindo uma gaveta e a colocando em uma bolsa de couro.

Assim os dois regridem a vila Bárbaros,e seguem pelo mar mediterrâneo onde um trovão é escutado fazendo o velho se assustar e ele sabe que acabaram de passar por um portal.

- Como você se chama, pergunta o velho.

- Me chamo Kracon Ridel, sou o líder dos Vikings da minha aldeia, e o senhor quem é?

- Tudo em seu tempo, Logo você descobrirá.

Então após um dia em mar eles chegam e veem o fogo e muita fumaça saindo, e um começo de incêndio se formando.

- Minha vila, rápido diz o viking saindo correndo junto com sua tripulação e o velho, chegando na vila onde as mulheres de longas transas estavam jogando agua para tentar apagar o fogo que estava começando a se alastrar pelas cabanas de palha e madeira.

- Você pode nos ajudar! Pergunta o Viking ao velho.

O velho abre sua bolsa de couro e pega a bússola e a abre e verifica que o seu ponteiro começa a girar descontroladamente, e brilha mostrando algo na direção ao norte.

Os dois o Viking e o velho, seguem por uma trilha na floresta densa onde uma névoa começava a surgir debaixo de seu pés, e a bússola, estava cada vez mais brilhando e seu ponteiro estava louco e girava sem parar, e então eis que em meio a duas árvores uma sombra encapuzada estava parada com os punhos fechados.

- É o andarilho responde Ridel, a descrição que foi passada, é ele sim.

O Velho entrega a Bússola para o Viking que a segura com as duas mãos e o andarilho revela seu rosto com olhos vermelhos, e dentes pontiagudos, e uma voz grossa de monstro é ouvida.

- Finalmente você chegou! Diz o andarilho, que estava mais próximo a uma clareira e revelava uma túnica preta e uma capa com capuz.

- O senhor se aproxima ficando dois metros de distância e diz:

- A quanto tempo heim! Demônio o exilo não foi o bastante para você, e está fazendo novas vitimas.

- O fogo queima e meus poderes ficam mais fortes, diz o demônio.

- Chega! Diz o velho, você não vai fazer mais vitimas sua hora chegou , e num passe de magica ele ergue sua mão direita onde continha um anel de prata brilhando e se transforma em seu bastão magico, que na ponta era muito parecido com um sapo.

O viking ainda estava segurando a bússola e fica surpreso e observa o senhor fazer o primeiro movimento.

- Liberta extralum, diz o velho, e uma luz verde sai da ponta do seu bastão e é repelido pelo demônio.

- Seu fraco! E o demônio se concentra e é arremessa contra o velho uma bola de fogo, onde o velho se protege com um escudo magico drenando a bola vermelha e a transformando em uma bola de energia azul e reflete sendo atirada no demônio que a repele fazendo a explodir entre as árvores que agora estavam em chamas.

- Rápido, Ridel ele é muito forte diz o Senhor ao Viking que segurava a Bússola, os dois estavam muito perto. Abra a Bússola e a mire no demônio! Diz o velho mais uma vez sua respiração estava ofegante.

Sem demoras o viking obedece às orientações e aponta a bússola aberta para o demônio, onde o ponteiro estava girando loucamente e brilhando faz um tornado que segura o demônio é vai sendo puxado para dentro da bússola que a fecha trancafiando o demônio lá dentro, onde ela se torna tão quente que pega fogo sendo jogada no chão, e o senhor a pega.

- Quem, é você realmente, pergunta o Viking.

- Sou um mago, e está bússola e um objeto místico capaz de localizar e tem o poder de trancafiar demônios para que não causem mais destruição.

- Um mago! Se assusta o viking o levando para o vilarejo e dizendo que eles estavam fora de perigo.

Assim o senhor é recebido por todos em um banquete colossal onde tinha um javali assado com uma maça na boca.

- Bom! Ridel eu já estou indo.

- Tem certeza que quer ir.

- Sim, tenho outras coisas para fazer, e gostaria que você ficasse com a bússola, assim você saberá quando tiver um demônio por perto, ela é um objeto magico cuide bem dele.

- Obrigado, sou eternamente grato.

O senhor os deixa e a vila dos vikings Bárbaros, permaneceu segura durante milhares de anos e a lenda da bússola de Ridel foram passando por gerações até chegar à proteção das fadas, pois se caísse em mãos erradas poderia causar uma grande destruição ao povo se fossem libertados e localizados os demônios exilados.

Lido 257 vezes Última modificação em Segunda, 26 Setembro 2016 22:48
Otávio Augusto Rodrigues

Sou Otávio Augusto Rodrigues (O. A. R.) natural de Curitiba / PR, Brasil. Tenho trinta anos sou formado em Ciências Contábeis pela PUCPR, 2005 a 2008 e pós-graduado em Controladora pela UFPR de 2009/2010 e desde então ministrando várias atividades e cursos. Trabalho com Logística, porém meu hobby é a escrita adoro escrever e minha cabeça ferve de tanta imaginação, já tenho dois contos publicados pela Academia Alquimia das Letras em 2014 / 2015 onde meus contos fazem parte integrante do livro Feiticeiro das Letras e 50 Tons de Vermelho Sangue. E acredito que qualquer um pode fazer a diferença desde que se empenhe 10X a fazer aquilo que deseja e tenho um sonho de um dia mostrar ao mundo minhas obras e publicar meus livros que estão a caminho.

E-mail: otavioaro@hotmail.com

Links: https://www.facebook.com/otavioaro

Conheça mais sobre o meu livro, As Crônicas de Biier e os Guardiões da Magia acessando o link: https://www.amazon.com.br

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.