Sexta, 14 Outubro 2016 05:16

Parte 3

Escrito por
Avalie este item
(8 votos)

Era um dia comum para Pedro, um amigo comenta sobre um lugar misterioso onde ele poderia conhecer.

Saiu de sua casa pela manhã. Naquele dia era a sua folga e só voltará a trabalhar na segunda feira. Pegou a sua motocicleta e seguiu viagem. Já se fazia tarde e o destino ainda não foi alcançado. O sol estava se pondo quando ele avista uma placa de boas vindas , um quilometro a frente ele vê as primeiras casas, procurou por um hotel para passar a noite, mas não achou nada. A cidade estava vazia e com as luzes todas apagadas, ele rodeou todo o local e não achou se quer uma alma viva.

A noite chegou e junto trouxe a fome e o cansaço. Abriu sua bolsa e pegou a lanterna, algumas casas atrás ele tinha visto uma plantação, foi conferir se havia algo comestível. Uma sombra chama a atenção dele, assustado foi ver o que era. Era só um cão, tinha algo estranho naquilo, o animal estava bem tratado. Então foi até a porta da residência e notou que ela estava destrancada. Adentrou o recinto, um odor desagradável tomava todo a casa, talvez fosse só comida estragada. Começou a vasculhar o local encontrou os interruptores, acendeu as luzes e um ruído estranho foi ouvido. Um estralo fez com que as luzes se apagassem novamente. Havia alguém sussurrando, caminhou ate o local e viu três garotinhas que estavam de costa para ele. Então Pedro coloca uma das mãos no ombro da garotinha do meio. Em uma reação quase espontânea a menina morde o seu braço e correu feito um animal assustado. Ele notou algo que o fez correr também, a menina não tinha olhos, so buracos vazios e escuros, como se a carne estivesse apodrecendo ou infeccionada. Ele vai até a porta, ela estava trancada, ele então procura algo para se defender. Uma das meninas volta e se aproxima, com medo ele recua e derruba algo no chão.

-shiiiiiiiii!!!! Não faça barulho- sussurra a menina.

Então ela pega um lápis e um papel e escreve o que aconteceu com o povo da cidade. Com medo Pedro solta um grunhido.

-shiiiiii!! Eles podem nos ouvir- sussurra a menina.

As outras duas meninas se aproximam e se junta a eles. Foi possível notar que uma não tinha os olhos e outra não tinha orelhas que foram arrancados por elas mesmo.

O clima fica pesado e as garotas explicam que a noite não é segura, as luzes os atraem, e disseram que o moço jamais poderia sair daquele lugar. Então ele dorme, o cansaço e o medo consumiu toda a energia do rapaz. Um barulho perturbador o acorda, ele vê uma das meninas mutilando as pernas com uma faca cega. Ele tentou impedir a garota, mas é repreendido.

-shiiiiii!! Isso é necessário moço. Sussurra a menina.

O rapaz desmaia. Alguns minutos depois ele acorda e as meninas explicam que so há uma forma de sair daquele lugar.

E essa forma seria acordando daquele sonho.

Lido 806 vezes
Junior Manyko

Idade: 18

Profissão: Chaveiro

E-mail: juca.manyko@gmail.com

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.