Quinta, 17 Novembro 2016 23:02

Amor de Verão

Escrito por
Avalie este item
(16 votos)

Ela acordou com a manhã brilhando na claridade que invadia o quarto através das janelas entreabertas e sem cortinas. A agradável brisa fresca do mar ainda mantinha o conforto na cama. Ele dormia aquele sono tranqüilo dos amantes felizes e, ela, com a leveza da pluma, lhe acariciava o peito quando a mão, percorrendo outros caminhos, sobressaltou-a com a rigidez do amor que ele lhe devotava. E isso o fez acordar e abrir os olhos com um sorriso de ternura. Um leve gesto com o braço ele puxou-a para cima de si e no abraço firme comprimiu os seios dela contra seu peito. E ela com a sua astúcia de fêmea e com os movimentos dos caracóis atraiu para dentro de si aquela intensa e rígida energia de amor.

Não foi difícil para ele inverter a posição, rolando para centro da cama e deixando o seu peso surpreendê-la com a incrível leveza dos movimentos de um homem apaixonado...


Uma boa ducha no chuveiro e um lanche breve na pequena mesa da cozinha os deixaram prontos para descerem para a praia. Nem repararam que o relógio na parede marcava 11 horas. Ela vestiu uma camiseta branca por cima do biquíni e ele, também, uma camiseta e o calção; chinelos, óculos escuros, os cigarros, protetor solar e duas revistas de leitura leve (uma Caras e uma Playboy) e estavam prontos. Daquele 5º Andar dava para ver que a praia estava lotada. Na areia acharam fácil seu lugar: uma sombrinha personalizada - Edifício Punta Arenas – apto 501 -, duas cadeiras e a mesinha – gentileza do condomínio.

20 minutos de caminhada à beira das ondas e tinham tomado sol suficiente para voltarem para a sombra e para a primeira cerveja do dia. Gentilmente foi ela quem riscou o palito de fósforo que lhes acendeu os cigarros Free linha azul.

Não que a eles interessava, mas eram 3 horas da tarde quando subiram. O que interessava e isso os dois sabiam é que não existe nada melhor que se amarem debaixo da chuveirada após uma tarde de praia.

Bermudas, camisetas e chinelos foi o traje para o Filé à Parmegiana lá na padaria da Rua Mario Ribeiro esquina da Casimiro de Abreu. Um passeio pelas lojinhas do centro e logo deu hora para assistirem no cinema do shopping o filme “Proposta Indecente”.

Subir para casa, à noite, sem apreciar a beleza da orla da Praia das Pitangueiras seria um pecado capital para um casal de apaixonados. Pecado este que esses dois jamais cometeriam. E foi sem nenhuma pressa que chegaram à ponta.

O chuveiro, a cueca samba-canção, a calcinha branca, a mesa da cozinha, os copos, a cerveja, o Free e o isqueiro. Os olhares, o toque de mãos, o papo, a brisa e a noite que se inicia...

Lido 434 vezes Última modificação em Quinta, 17 Novembro 2016 23:17
Enio Ferreira

Empresário que tem como passatempo a literatura. Leitor apaixonado por texto bem elaborados. Às vezes se mete a escrever algumas linhas.

Link: www.cronicatijucana.blogspot.com.br

Mais recentes de Enio Ferreira

Mais nesta categoria: « Amor de Verão Retratos da vida »

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.