Segunda, 28 Novembro 2016 22:11

Voltando para a Terra Natal

Escrito por
Avalie este item
(1 Voto)

Um jovem de uma certa idade resolvera trabalhar fora de sua cidade natal longe de seus familiares e amigos, era vendedor em um grande shopping da capital, ganhava um bom ordenado que lhe sustentava sua vida de solteiro e sobrava alguns trocados ainda para mandar para seus pais na pequenina cidade do interior do estado. Trabalhava de dia à noite, sentia imensa saudade de casa, do bom aconchego e carinho de seus pais, como também das boas conversas com seus amigos de outros tempos. Aquela cidade imensa e estranha nunca fora capaz de suprir suas angústias e saudades, por mais que trabalhasse bem e fosse bem remunerado e tivesse feito outras tantas amizades, nada lhe tirava aquela solidão imensa e o vazio do peito que sentia, foi então que depois de muito cogitar sobre sua real situação,que chegou ao seu chefe e lhe disse convicto:

-Peço minha demissão! Estou indo embora para minha terra amanhã mesmo.

O chefe pasmado com seu pedido lhe olhou ainda com um semblante de dúvida, tentando compreender bem aquela súbita e inusitada situação, hesitou por um instante mais ,e após perceber a firmeza no pedido do rapaz, lhe disse:

-Está bem. Sei de sua atual situação e talvez possa estar apertado com o seu salário, vivendo de aluguel e pegando ônibus todos os dias ou talvez não esteja bem de saúde e precise de um bom médico, lhe garanto que posso lhe arrumar um dos bons, é por conta da casa, e talvez um acréscimo no seu salário não seria nada mal no momento.

-Só quero meus papéis o mais rápido possível, por favor!

-Como? Ainda não está satisfeito rapaz? Ora essa, pois então lhe aumento o acréscimo.

-Não obrigado! o senhor não entendeu, só quero que dê baixa em meus papéis.

-O senhor não anda bem, não brinque assim comigo!

-Estou em meu perfeito juízo, e jamais brincaria com o senhor.

-Não entendo.

-Pois entenderá!

-Como?

-Talvez para o senhor a sua felicidade possa se basear em vender o máximo possível todos os dias tirando vantagem sobre a força de trabalho de seus empregados, que lhe renderá lucros e mais lucros. Eu me sinto feliz estando junto com meus pais e amigos me virando de qualquer forma, posso lhe dizer que meu bem-estar se baseia nisso que pode parecer pouco para o senhor, mas abundante para mim.

-Lhe garanto que não ganhará mais do que para sua própria alimentação diária!

-Não me importo.

E na manhã seguinte partiu logo cedo rumo à sua terra natal.

Lido 273 vezes Última modificação em Segunda, 28 Novembro 2016 22:16

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.