Quarta, 21 Dezembro 2016 22:48

Obrigado, Jorge Aragão

Escrito por
Avalie este item
(1 Voto)

sempre que acontece obra aqui em casa eu fico mal. eu fico mal porque penso que os caras da obra pensam que sou um playboy.

outro dia cheguei em casa do estágio com a camisa de botão aberta, e até meus pelos do peito diziam qual a minha classe social. Fui até o quarto onde eles estavam trabalhando e os cumprimentei – achando que tinha mudado 500 anos da história dos negros. eles me olharam como se não tivesse feito nada mais do que minha obrigação – o que é verdade. mas não desisti.

fui para o outro quarto, onde estava o violão, e puxei bem alto "Já é", do Jorge Aragão: "a saudade é dor/volta meu amor/assim que puder".

saí do quarto com eles me olhando. finalmente tinha achado alguma coisa em comum entre nós: o amor – ou a falta de um.

e fui tomar um banho playboy.

Lido 517 vezes
Gabriel Dias

"Uma parte de mim almoça e janta.
Outra parte se espanta".

Idade: 19

Profissão: Estudante

E-mail: gmonteiro_dias@hotmail.com

Link: https://www.facebook.com/gabriel.dias.3939?ref=br_rs
instagram.com/gmmdias

1 Comentário

  • Link do comentário Sandra Modesto Quarta, 28 Dezembro 2016 20:03 postado por Sandra Modesto

    Fiquei apaixonada pelo texto. Uma linguagem tão simples e rica em tudo. A classe social sempre tão covarde e que segrega realmente. Só Jorge Aragão mesmo, pra ter sido o lance principal e peculiar da narrativa. Lindo. Parabéns ao autor. Abraços.

    Relatar

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.