Quinta, 16 Junho 2016 03:58

A Missão

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

Nunca pensei que isso fosse ocorrer conosco. Era tanta paixão, tanto carinho, tanto contentamento quando estávamos juntos!

E era só o que queríamos: que nada nem ninguém nos separasse. Qualquer bobagem nos divertia, e vivíamos achando graça e magia em tudo que nos cercava.! E fazíamos amor doidamente, como se o mundo fosse se acabar naquele instante. Ao luar numa praia deserta, nas areias brancas do rio, no verde profundo das trilhas selvagens e nas modestas pousadas onde pousávamos exaustos. Nada importava, apenas o estar junto. Era nosso maior prazer e nossa maior alegria.

Eu vivia suspensa na vida como se não tivesse mais peso e nada me afetava, nada me irritava nem me afligia. Ele ocupava meus espaços com pura felicidade.
Até que um dia ele me deixou. Assim, do nada, sem motivo, briga ou desavença. Simplesmente foi-se embora, sem explicações, queixas ou remorsos.

Apenas me agradeceu pelos bons tempos que havíamos desfrutado, afirmando que eu havia sido um raio de luz em sua vida conturbada. Mas que, daquele momento em diante, tinha que voltar para sua missão.

Que missão era esta? Que vida conturbada? Quão poderoso era este apelo que o afastava de mim, talvez para sempre? Isso eu lhe perguntava histérica, ao vê-lo pegar a mochila para ir embora.

Mas ele nada respondeu, apenas sorriu meio triste e me mandou um beijo com as pontas dos dedos, enquanto fechava a porta sem se voltar para trás. E eu fiquei ali, atônita, como um trapo, uma coisa qualquer que não tem mais serventia, sentindo minha alma se desprender de mim, levando meu coração aos pedaços.

Dias depois, ainda totalmente desorientada por tamanha dor, vi espantada, num jornal, sua foto, na primeira página. Coberto de sangue e ainda segurando o fuzil, morto no chão poeirento da Palestina.

Lido 359 vezes Última modificação em Terça, 05 Julho 2016 00:05
Suzana da Cunha Lima

Suzana sempre gostou de ler e escrever, desde menina. Mas foi apenas depois do 63 anos que se dedicou à literatura de maneira mais sistemática, visando a publicar seus escritos. O primeiro romance VIRANDO PÁGINAS, em 2008 e depois seguiram-se dois livros de contos: O AMIGO IMAGINÁRIO E SEMPRE VINTE ANOS. Um livro infantil: FADAS EXISTEM?colaboração com 10 contos em duas antologias: ÂNCORAS E O SEGREDO DE CADA UM. Este ano está preparando um livro policial.
Mora em São Paulo, tem três filhos e sete netos e uma família amorosa e unida, grande parte no Rio de Janeiro. Tem uma vida ativa e interessante, gosta de cinema e teatro e atualmente responde pela direção do Departamento Cultural do Clube Alto dos Pinheiros.

Mais recentes de Suzana da Cunha Lima

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.