Humor
Quarta, 28 Dezembro 2016 12:51

Olha o Remedinho...

Capítulo 1

À confissão...

Quarta, 21 Dezembro 2016 10:15

O ovo da vingança

Joca era um cozinheiro frustrado que sonhava em ser chef. O máximo que conseguia cozinhar com sucesso era um ovo poché. Mesmo esta sua especialidade não era bem uma especialidade. Apenas uma em cada dez tentativas era marcada pelos aplausos dos comensais (na verdade estavam mais para cobaias) do velho Joca. Volta e meia justificava suas incontáveis tentativas repetindo aquele bordão chato que fora muito usado tempos atrás: - sou brasileiro e não desisto nunca. E os gaiatos soltavam, sem a menor piedade, piadinhas a respeito do talento culinário do Joca, entre elas esta frase infame: “Pois é, Joca, tu não desistes nunca e talvez até o diabo vai ter que ouvir esta tua frase, quando “lá” chegares com tua caçarola e teu cepo com as facas gourmet”.

Terça, 13 Dezembro 2016 21:13

O último dia de Tico Carvalho

Ângela Maria (doméstica): “Já é pra falar? Ah... é, naquele dia eu cheguei 8h30 na casa do Seu Tico, que é o horário que a gente combinava. Ele dormiu até umas 10h. Eu já tinha colocado a mesa do café. Ele gostava de cafezão, sabe, de novela mesmo. Suco, leite, bolos, pão, até queijo, ele fazia questão de tudo. Mas ele não acordou muito bem, acho que tava de ressaca, preferiu tomar Coca-Cola. Ficou lá quieto, Seu Tico não é de falar durante o café. Cantava baixinho e às vezes fazia algumas anotações. Comeu pouco e, quando levantou, brincou um pouco comigo. Sabe, eu trabalho com ele já tem algum tempo, a gente tinha alguma liberdade. Então, me pareceu que ele estava bem, que era só ressaca, mesmo. Perguntei o que ia querer para o almoço e ele pediu coisa simples, bife com saladas e purê. Seu Tico foi sair já era umas 11 horas. Foi andar na praia. Ele sempre fazia isso.”

Segunda, 28 Novembro 2016 23:36

O tenor em dó menor

Não, doutor, eu não sei e nem vi quem foi. Não, não sei de nada. Sim, eu estava lá. Mas é como se eu não estivera. Doutor, imagine uma garrafa de vodca e mais um tanto assim (uma mão cheia de dedos) de cerva... pois é, doutor, aquele lá poderia ser qualquer um numa garrafa de pinga, mas eu não sei se era eu. Por isso, seu doutor, não sei lhe responder quem foi, não sei se vi, não sei se fui, não sei se cantei. Sim, seu doutor, eu canto. Sou tenor. Não, doutor delegado! Sou um terror apenas quando me convém. Eu sou TE NOR.

Sábado, 05 Novembro 2016 11:09

O Ataque da Batata Mutante

Era uma vez um ET que morria de vontade de comer batata frita.

Sábado, 15 Outubro 2016 23:05

Paixão animal

- Palhaço eu não sou...

Quarta, 12 Outubro 2016 14:27

Domingo língua presa

Talvez só aconteça comigo,

O domingo não rende boas poesias,

Nada rima com porra nenhuma,

Sábado, 08 Outubro 2016 21:06

Um Causo Mineiro

Seu Zezinho era comerciante próspero, conhecido por aquelas bandas como homem leal, fiel e de palavra. Comprava e vendia o que quisesse com apenas um fio da sua barba como garantia. Casado, pai de quatro filhos, curtia a vida folgado. A mulher era o pé-de-boi e o pau-para-toda obra da família. Mulata forte, não hesitava em arregaçar as mangas e enfrentar o pesado. Além do mais, no armazém de “secos e molhados” vendia-se de tudo. Ela se gabava em dizer que tudo era feito por ela, dos bolos e cocadas aos chouriços e fressuras.

Sexta, 02 Setembro 2016 13:52

Haicais de um Motoboy

Haicai é uma forma de poesia japonesa. Um haicai deve conter três versos e 17 sílabas no total (5 sílabas no primeiro e terceiro verso, e 7 sílabas no segundo). Jorge aprendeu isso na quinta-série com 11 anos. Hoje, 8 anos depois – já formado no ensino médio, trabalhando e estudando para passar no vestibular – Jorge é viciado em escrever haicais.

Quinta, 25 Agosto 2016 12:03

Previsões

Toda minha família gosta de cartomantes, videntes, horóscopos, qualquer coisa que remeta ao imponderável, à fantasia e ao não conhecido.

Página 1 de 3