Luís Fernando Amâncio

Luís Fernando Amâncio

Moro em Belo Horizonte, onde fiz graduação e mestrado em História pela UFMG. Sou autor do livre "Contos de Autoajuda para Pessoas Excessivamente Otimistas" (Ed. LiteraCidade). Atuo, atualmente, como colunista no site Digestivo Cultural.

E-mail: luis.amancio@gmail.com

Link: www.twitter.com/fernandoamancio

Terça, 13 Dezembro 2016 21:13

O último dia de Tico Carvalho

Ângela Maria (doméstica): “Já é pra falar? Ah... é, naquele dia eu cheguei 8h30 na casa do Seu Tico, que é o horário que a gente combinava. Ele dormiu até umas 10h. Eu já tinha colocado a mesa do café. Ele gostava de cafezão, sabe, de novela mesmo. Suco, leite, bolos, pão, até queijo, ele fazia questão de tudo. Mas ele não acordou muito bem, acho que tava de ressaca, preferiu tomar Coca-Cola. Ficou lá quieto, Seu Tico não é de falar durante o café. Cantava baixinho e às vezes fazia algumas anotações. Comeu pouco e, quando levantou, brincou um pouco comigo. Sabe, eu trabalho com ele já tem algum tempo, a gente tinha alguma liberdade. Então, me pareceu que ele estava bem, que era só ressaca, mesmo. Perguntei o que ia querer para o almoço e ele pediu coisa simples, bife com saladas e purê. Seu Tico foi sair já era umas 11 horas. Foi andar na praia. Ele sempre fazia isso.”

Sexta, 14 Outubro 2016 06:15

A menina do ponto de ônibus

David não sabia o que ele mais gostava na garota sentada no ponto de ônibus. Se lhe perguntassem, ele poderia dizer que eram os cabelos, loiros e cacheados, que reluziam ao sol da manhã como fios de ouro. David podia sentir o perfume da vasta cabeleira da menina, mesmo não se sentando tão perto dela. Ela cheirava a morango.