O Corvo

O Corvo

Nascido nas Minas Gerais, O Corvo é um contista e contador de histórias que tende ao horror e suspense, mas se aventura vez ou outras nos caminhos românticos. Com 22 anos ele é vendedor de materiais de construção e Estudante de Engenharia Civil busca na literatura uma forma de terapia para aliviar o estresse diário. O horror abordado em seus contos fica limitado apenas às páginas que escreve, na verdade sempre foi muito apegado à família, namorada e amigos.

É muito eclético musicalmente (escuta todos os tipos de rock), adora os contos de Edgar Allan Poe, Séries de TV, é jogador de RPG e nunca se adaptou bem a esportes.

Acredita que o mundo pode ser melhor, mas está tentando melhorar a si mesmo para comprovar sua teoria.

E-mail: escritorcorvo@gmail.com

Links: www.facebook.com/contosdocorvo
www.contosdocorvoblog.wordpress.com
Youtube: www.goo.gl/M0K2U6

Segunda, 31 Outubro 2016 21:56

Se Fosse Livro

Se eu fosse um livro seria maravilhoso transportar histórias que aguçam a curiosidade das pessoas, que fazem o leitor sorrir ou às vezes chorar; Assim poderia ser interpretado de mil formas, conforme o que fosse entendido. Eu teria partes interessantes e outras tediosas.

Sexta, 14 Outubro 2016 08:02

Revelações

Essa é uma carta encontrada junto ao corpo de um detento que se enforcou em sua cela:

“Eu lhes afirmo: a história que vou lhes contar é real e aconteceu exatamente conforme vou descrever na sequência. Para lhes dar garantia de que o que digo realmente aconteceu vou registrar aqui meu nome – sim, o verdadeiro e não um pseudônimo.

Sexta, 30 Setembro 2016 03:43

O Dragão e a Serpente

Certa vez ouvi de um velho cavaleiro, algo que gostaria de recontar a vocês, talvez não me lembre bem dos detalhes, mas garanto a todos uma boa história.

Sábado, 24 Setembro 2016 21:41

De Amor E De Horror

Madrugada adentro,
Ia eu bastante sonolento,
Por minha janela só entrava o vento,
E era a falta da amada que nutria meu lamento.

Sábado, 24 Setembro 2016 21:27

Uma Caneca de Vinho

Confesso, já havia bebido um ou outro vinho, e talvez alguma caneca de hidromel. Ainda que minha língua dormisse entre uma e outra frase minha eu estava bem consciente do que acontecia ao meu redor.