Raphael Lopes

Raphael Lopes

Sexta, 14 Outubro 2016 08:48

Despertar

Ela acordou de súbito. Seus olhos perscrutaram a escuridão. Nada se destacava ali, além do som de sua respiração ofegante e o toque surdo de seu coração contra o peito. Ela permanecia imóvel. Uma fina camada de suor lhe subia as costas até a nuca, onde se fundiam com as mechas escuras do cabelo. Ela apurou os ouvidos, mas o local parecia isolado. Suas mãos tatearam o próprio corpo e ela se descobriu vestida, sem amarras, ou correntes.