Terror
Terça, 11 Outubro 2016 22:22

À meia-noite

– Tem certeza? – perguntou pela terceira vez Zé Ribamar, o pistoleiro, com o cano do revólver encostado à nuca do garoto, de cócoras.

Sexta, 30 Setembro 2016 10:04

Minha Primeira Vez

Pele morena, cabelos longos, sorriso capaz de fazer corações palpitarem, curvas sinuosas e beleza estonteante. Essas eram basicamente as características da garota que eu e mais metade do colégio era apaixonado. O local era a minha casa, mais precisamente o porão. Eu estava de frente para ela e a encarava fixamente. Podia perceber sua respiração ofegante, seu suor escorrendo e seus breves gemidos. Eu estava nervoso mas tentava não demonstrar, queria que ela pensasse que eu sabia o que estava fazendo. Eu passava a mão sobre seus cabelos negros e macios, sentia aquele perfume que me deixava cada vez mais excitado.

Sábado, 24 Setembro 2016 21:41

De Amor E De Horror

Madrugada adentro,
Ia eu bastante sonolento,
Por minha janela só entrava o vento,
E era a falta da amada que nutria meu lamento.

Sábado, 24 Setembro 2016 21:27

Uma Caneca de Vinho

Confesso, já havia bebido um ou outro vinho, e talvez alguma caneca de hidromel. Ainda que minha língua dormisse entre uma e outra frase minha eu estava bem consciente do que acontecia ao meu redor.

Segunda, 19 Setembro 2016 01:27

À meia-noite

– Tem certeza? – perguntou pela terceira vez Zé Ribamar, o pistoleiro, com o cano do revólver encostado à nuca do garoto, de cócoras.

Quinta, 08 Setembro 2016 11:47

A Ironia

Mais uma vez, caminhando pela rua tarde da noite. Mais uma vez, coração ofegante. Era tudo a mesma coisa e as mãos suavam cada vez menos. Estava se acostumando com isso. A cada dia era mais impessoal: era um trabalho comum, como qualquer outro. Por quê ter medo de estar ganhando a vida semi-honestamente?

Sexta, 02 Setembro 2016 13:19

A Anti-Musa

A válvula da panela girava, a cozinha suava vapor de sopa quente. Cheiro de temperos no ar. O sol lá fora mal entrava pelas janelas veladas com cortinas grossas. O resultado era um cômodo abafado e entregue à penumbra. Uma mulher estava sentada à mesa, diante de um rádio antiquado que ressoava um samba triste. No entanto, não parecia estar atenta aos apelos do sambista, tão pouco à panela ao fogo. Na verdade, ela parecia nem estar presente mentalmente. Em uma espécie de despersonalização, seu olhos arregalados encaravam o azulejo encardido das paredes, mas seu espirito poderia muito bem estar vagando pelo plano astral.

Quarta, 24 Agosto 2016 21:32

Planos

Ricardo, 37, é um músico que fez pouco sucesso, porém ainda ganha certo dinheiro, não é milionário, mas vive bem para seus padrões. Odeia crianças e volta e meia termina os seus relacionamentos por causa disso. Namora Renata há uns três anos, moram juntos. Ela inferniza sua vida, diz ela aceitar o fato dele não querer ter filhos, mas quer mandar em todos os aspectos de sua vida, dieta, gostos, como deve guardar dinheiro, o que ele deve ou não beber.

Sábado, 30 Julho 2016 14:45

Espectator

O urubu caiu do céu.
Pescou a carne podre,
Degustando como fosse mel
Todas as partes que pôde.

Página 7 de 7